Curta e Siga

Fone 48 3224 5258

Efetue sua Busca


Notícias - Artigos

Tempo de mudanças

Tempo de mudanças

No livro “Evolução Humana e Fatos Históricos”, de Regis de Morais, sobre a evolução da nossa sociedade, o autor cita a obra do psicólogo Stanley Keleman, intitulada “Realidade Somática”, de 1994. Em sua obra Regis afirma que mesmo que muitos ao assistirem o noticiário acreditem que as coisas estão piorando, há uma lógica que explica o momento transitório pelo qual estamos passando.

No livro o autor afirma que, de acordo com Stanley, subitamente chegamos ao momento em que percebemos que algo muito essencial em nossa forma de viver torna-se obsoleto. Não tem mais serventia. Ele divide tais percepções em três fases: finais (endings), espaço intermediário (middle ground) e renascimento (rebirth). Na fase citada como“finais” nos damos conta de que um ciclo terminou e já não é mais possível viver em função dele. Nesta fase muitos se assustam, outros manifestam saudosismo, mas todos sabem que o ciclo chegou ao fim.

O momento seguinte é o luto, nele entramos no denominado “espaço intermediário”. Nesta segunda fase ainda nos sentimos apegados aos valores antigos, que não funcionam mais, mas ainda não temos os novos valores definidos. Para entrarmos na última fase, a do “renascimento”, precisamos ser fortes para renovarmos nossa forma de relação com o mundo, uma reorganização da vida e de valores que nos trará novos tempos.

Quero aproveitar a leitura da obra para sugerir que façamos uma reflexão sobre o momento atual, que muitos chamamos de cenário desafiador, para não torná-lo pior ainda.
Sabemos que a corrupção que temos testemunhado nos dá a certeza de que o modelo político atual não serve mais. Acredito também que o modelo de consumo está na já citada fase “intermediária”. Prova disso são os novos hábitos de consumo que temos testemunhado.

Os vários modelos de negócios também precisam passar por essas três fases para seu “renascimento”. Só assim conseguiremos ter um novo ciclo virtuoso. Esperar a crise passar não será suficiente.

É preciso agir e mover o mercado, como dizemos na ADVB/SC, e o início do ano é um momento muito oportuno para isso.

Daniel de Oliveira Silva é Presidente Executivo da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB/SC)